11 abril, 2007

Em branco

Olho para a janela – onde mais ter a esperança de ver a inspiração a cair do céu? O meu caderno não vira a página, branco desafiador.
Há estatísticas sobre os anos que gastamos numa vida a dormir. Nunca ninguém se lembrou de medir o tempo passado assim: em branco.

2 comentários:

Íris disse...

Estático adorável. Estático deprimente. Dicotomia permanente. O branco pode ser desafiador quando sabemos que se aproxima o instante em que vai deixar de o ser. Agora quando o é, apenas...é. Profundo desespero. Desperta em mim um desejo de evasão. Um desejo de me "estrangeirar". Libertar desta monotonia latente. Quimera? Talvez...Londres? uma hipótese. Não conheço Londres. Não vou conhecer tão cedo. Desta forma lhe lanço um desafio: mostre-me Londres. Sem fotografias. Num post breve mas único. O sumário não anula a essência de uma realidade...antes pelo contrário.

Fernando Cardoso disse...

Cada palavra
inspira-me um verso;
cada mulher
um poema;
cada guerra
um rosário de lágrima.
Fernando Cardoso
in «Universo da Criança»
fcardoso.blogs.sapo.pt